Notícias

Postado em 10 de Julho às 22h32

Preço da carne bovina brasileira exportada atinge recorde em junho

Notícias do Setor (206)
Expomeat 2017 O preço da tonelada de carne bovina in naturabrasileira exportada atingiu um recorde em junho, superando R$ 19 mil, segundo informações compiladas pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada...

O preço da tonelada de carne bovina in naturabrasileira exportada atingiu um recorde em junho, superando R$ 19 mil, segundo informações compiladas pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) na quinta-fera (05).

O Brasil exportou 54,4 mil toneladas de carne bovina in natura em junho, 45,4% abaixo das 99,6 mil toneladas embarcados no mesmo mês do ano passado e queda de 39,9% em relação a maio deste ano (90,5 mil toneladas), segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

O volume exportado em junho é também o menor desde janeiro de 2011, segundo o Cepea.

A redução nos volumes é em parte explicada pelos efeitos da greve dos caminhoneiros no final de maio, que impediu que cargas saíssem de frigoríficos e entrassem nos portos.

“Além disso, o preço da tonelada da carne brasileira em patamar recorde também pode ter limitado as compras por parte de alguns países, já que reduz a competitividade da proteína nacional”, disse o Cepea em nota.

O alto preço pago por tonelada de carne amenizou a queda na receita com exportações em junho, que foi de -33,5% em relação a junho de 2017 e de -26,4% ante maio de 2018, a US$ 278,8 milhões.

No mercado interno, o Cepea informou que os valores no mercado de animais para abate estão “bastante dispersos” desde o início de julho. O indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo sobe 0,07% no mês até quarta-feira (04), a R$ 139,50.

Por Anna Flávia Rochas

Fonte: Carnetec

Veja também

Brasil deve exportar 10% a mais de carne bovina em 2018, diz Abiec18/12/17 Os volumes de exportações brasileiras de carne bovina devem subir 9,8% em 2018, para 1,68 milhão de toneladas, com expectativa de retomada das vendas do produto in natura para os Estados Unidos, aumento de habilitações de frigoríficos pela China e liberação para embarques a outros países asiáticos, informou a Associação Brasileira......

Voltar para Notícias (pt)