Notícias

Postado em 21 de Novembro às 17h56

Mercoagro 2018 oferecerá diversas oportunidades de negócios

Notícias do Setor (123)

A Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne (Mercoagro 2018) terá uma ampla programação paralela com diversas oportunidades de negócios. Entre eles estão as Sessões de Negócios, a Rodada de Negócios, o Painel de Oportunidades, o Painel de Classificados Mercoagro, a Mercoagro On Business e o Painel Relacionamentos de Negócios. Organizada pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), a feira está programada para o período de 11 a 14 de setembro de 2018 no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó.

A Sessão de Negócios é uma oportunidade de integrar as ações do Sebrae para acesso ao mercado dos pequenos negócios: setores primário, secundário ou terciário, elevando o potencial de identificação de possibilidades. É um evento multissetorial organizado com uma metodologia que permite conhecer e se apresentar para empresas que poderão ser clientes, fornecedoras ou parceiras. Cada empresa terá um tempo pré-determinado para fazer uma objetiva apresentação dos seus produtos/serviços, podendo também distribuir cartões e materiais promocionais. Será realizada uma sessão por dia, totalizando quatro Sessões de Negócios durante a Mercoagro 2018, destinadas para expositores e visitantes.

A Rodada de Negócios é um evento setorial organizado para promover reuniões de negócios entre empresas compradoras e fornecedoras de uma mesma cadeia produtiva, de acordo com os produtos demandados. Nesta Rodada, em um ambiente especialmente preparado, durante um tempo pré-estabelecido e conforme a agenda, cada fornecedor fará uma apresentação do produto/empresa para o comprador, por meio de catálogos, folders, pequenas amostras, cartões de visita, entre outros. O evento é destinado para os expositores da Mercoagro.

Um evento para expositores, onde grandes empresas apresentarão pré-requisitos de atendimento de suas demandas, potencializando oportunidades, permitindo a aproximação e a negociação. Esse será o Painel de Oportunidades. Serão realizadas palestras com médias e grandes empresas com o objetivo de apresentar as oportunidades existentes e os pré-requisitos de compra para empresários, tendo o objetivo de prospecção de potenciais fornecedores. Após as apresentações, as empresas participantes têm a oportunidade do contato direto com os potenciais compradores para sanar dúvidas específicas e/ou iniciar o processo de negociação.

O Painel Classificados Mercoagro é uma oportunidade diferenciada de geração de negócios, tanto para o expositor que deseja expandir sua marca, produtos e serviços por toda a Mercoagro, quanto para o público visitante, que terá informações sobre os expositores durante o percurso da sua visitação. Diversos aparelhos de TV estarão por toda a feira divulgando, em tempo real, informações, ofertas, parcerias e demandas sobre compra e venda das empresas expositoras.

Uma oportunidade para os expositores da feira e potenciais clientes conhecerem as soluções de financiamento oferecidas pelo BRDE e seus parceiros para o segmento será oferecida no Mercoagro On Business. O BRDE possibilitará a efetivação de negociações/aquisições durante a feira, a partir de crédito bancário disponível na Mercoagro. Serão realizadas palestras e workshops sobre apoio à inovação no ambiente produtivo; consultoria especializada em soluções de crédito; consultoria para crédito para investimentos em inovação tecnológica; cases de sucesso no apoio ao investimento e inovação industriais.

O Painel Relacionamentos de Negócios oportunizará a troca de contatos e geração de novos negócios. A feira terá um espaço físico, disponível para todos (expositores e visitantes), para quem quiser deixar seu cartão de visita.

Além desses, outros eventos paralelos integrarão a programação da Mercoagro 2018: o 12º Seminário Internacional de Industrialização da Carne (em breve serão informados temas e palestrantes), Salão da Inovação, Clínica Tecnológica, Laboratório Experimental e Mercoshow.

MERCOAGRO
A feira terá 160 estandes com 250 marcas representadas. A previsão é de 15 mil visitantes/compradores e negócios da ordem de 160 milhões de dólares. A Mercoagro tem apoio da Prefeitura de Chapecó, Facisc, Fiesc, Senai, ABPA, ABIA, Sindicarne, Sihrbasc, Chapecó e Região Convention & Visitors Bureau. Mais informações no site: www.mercoagro.com.br

MARCOS A. BEDIN
Registro de jornalista profissional MTE SC-00085-JP
Matrícula SJPSC 0172
MB Comunicação Empresarial/Organizacional
Rua Nilópolis, 251 D - Bairro Universitário - 89814-510 - Chapecó/SC
Telefone (49) 3323-4244, celular (49) 9 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br
marcos.bedin@mbcomunicacao.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/mbcomunicacaosc
Twitter: https://twitter.com/#!/MBComunicacao


Postado em 21 de Novembro às 17h53

Frigol assume frigorífico em GO e torna-se o 4º maior do Brasil

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 A Frigol S.A. anunciou na quinta-feira (16) a incorporação de unidade frigorífica em Cachoeira Alta (GO). Com isso, a indústria aumenta em 25% sua capacidade de abate de bovinos, atingindo 60 mil...

A Frigol S.A. anunciou na quinta-feira (16) a incorporação de unidade frigorífica em Cachoeira Alta (GO). Com isso, a indústria aumenta em 25% sua capacidade de abate de bovinos, atingindo 60 mil cabeças/mês e 180 mil toneladas de carne/ano. Esse negócio posiciona a Frigol na quarta posição entre as indústrias frigoríficas nacionais, segundo nota da empresa – atrás de JBS, Marfrig e Minerva.

Com o arrendamento, a Frigol passa a atuar com plantas em três estados: São Paulo (Lençóis Paulista), Pará (São Félix do Xingu e Água Azul do Norte) e, agora, Goiás (Cachoeira Alta).

O frigorífico de Cachoeira Alta faz parte da Rodopa Alimentos e estava desativado. A unidade processa carne resfriada e congelada, miúdos e subprodutos tanto para o mercado interno quanto externo – Hong Kong, Egito, Arábia Saudita, Vietnã e outros países.

A Frigol investirá cerca de R$ 5 milhões em equipamentos e na melhoria da infraestrutura para o início dos abates, processo que deve estar concluído em meados de dezembro de 2017. A planta tem capacidade para abater 600 bovinos/dia e incorporará cerca de R$ 360 milhões/ano à receita da Frigol. Serão gerados cerca de 400 empregos diretos para a reativação do frigorífico.

“Trata-se de uma unidade moderna e de bom porte, em um mercado muito importante e com boa oferta de gado, que se ajusta perfeitamente à estratégia de crescimento da Frigol”, disse em nota o CEO Luciano Pascon.

“A Frigol permanece atenta ao mercado, de olho em oportunidades estratégicas para novo ciclo de crescimento, com o respaldo de uma gestão financeira equilibrada, voltada para a geração de resultados para os stakeholders e foco em produtos de maior valor agregado.”

A Frigol projeta receita líquida de R$ 1,4 bilhão em 2017. As exportações representam cerca de 22% da produção da empresa. Com a nova unidade de Cachoeira Alta, a companhia passa a ter capacidade para processamento de 180 mil toneladas/ano. A produção é distribuída para todo o Brasil e exportada para mais de 60 países da América do Sul, Europa, Oriente Médio, Ásia e África. A capacidade de abate passa a superar 3 mil bovinos/dia e 1,2 mil suínos/dia. No total, a empresa gera 2,5 mil empregos diretos.

Fonte: Carnetec


Postado em 21 de Novembro às 17h35

NR-36, Treinamento de Segurança em Sistemas de Refrigeração por Amônia para frigoríficos

Notícias do Setor (123)

Será realizado em Maringá (PR), no próximo dia 9 de dezembro, o treinamento de segurança em sistemas de refrigeração por amônia.

Cleber Rocha, da Honeywell do Brasil, ministrará as tecnologias utilizadas nos Estados Unidos sobre detecção de gases e, principalmente, no sistema de refrigeração por amônia.

O sargento Rodrigo Marcelo do Corpo de Bombeiros, especialista em atendimento com produtos químicos, falará sobre as vestimentas de proteção química e equipamentos de proteção respiratória, onde todos irão colocar a vestimenta Nível A e como calcular o cilindro.

Já Fernando Rosalvo, técnico de Segurança do Trabalho do setor frigorífico, vencedor do Prêmio DuPont de Segurança e Saúde do Trabalhador 2016 na categoria Proteção Química, abordará o campo de atuação, o dia a dia do técnico e a prática do PAE e PGR.

Serviço
Treinamento de Segurança em Sistemas de Refrigeração por Amônia para frigoríficos
Dia 9 de dezembro de 2017 (Sábado)
Das 8h às 15h
Local: Hotel Metrópole Maringá (PR) - Av. XV de novembro 470
Mais informações: (18) 9 8175 5964 / fernandorosalvo@gmail.com

Fonte: Carnetec


Postado em 21 de Novembro às 17h07

Mapa e associações de fiscais discutem novo modelo de inspeção

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 Novacki recebeu sugestões de entidades que representam servidores O ministro interino da Agricultura, Eumar Novacki, reuniu-se na semana passada com representantes de entidades de classe de fiscais agropecuários...

Novacki recebeu sugestões de entidades que representam servidores

O ministro interino da Agricultura, Eumar Novacki, reuniu-se na semana passada com representantes de entidades de classe de fiscais agropecuários (Anffa e Asfagro) para tratar do novo modelo de inspeção sanitária que está em estudo.

Novacki recebeu sugestões de metodologia e de procedimentos a serem avaliados na construção do modelo de inspeção que visa modernizar o sistema brasileiro e adequá-lo a padrões internacionais.

A reunião ocorreu em ambiente de colaboração, segundo o Mapa, sendo sugerida a realização de um seminário para ampla discussão do modelo de inspeção a ser implantado. Novacki disse ainda que o novo sistema não está definido ainda. “Temos que prosseguir analisando. Tudo será discutido e apresentado a todos”, assegurou em nota.

Representantes das entidades da categoria consideraram importante a capilarização do sistema de inspeção no país, com apoio dos estados, e se mostraram defensores da meritocracia no serviço público.

Fonte: Carnetec


Postado em 21 de Novembro às 16h56

JBS Carnes é reconhecida no PR por técnicas aplicadas no programa Açougue Nota 10

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 Renato Costa recebe o prêmio de Pedro Zonta (Divulgação/JBS) O mês de novembro marcou mais um importante prêmio para a JBS Carnes. As boas práticas implementadas pela companhia na rede...

Renato Costa recebe o prêmio de Pedro Zonta (Divulgação/JBS)

O mês de novembro marcou mais um importante prêmio para a JBS Carnes. As boas práticas implementadas pela companhia na rede Condor Supermercados foram destaques do prêmio Top Fornecedores Condor 2017, na categoria Perecíveis/Açougue.

Além da parceria comercial, a JBS Carnes foi reconhecida por conta das técnicas aplicadas pelo programa Açougue Nota 10. O projeto tem o objetivo de fidelizar os varejistas por meio de soluções para os açougues, levar treinamento técnico periódico aos açougueiros, enfatizar a importância do desenvolvimento de novos produtos e buscar sempre a qualidade da carne oferecida ao consumidor, com foco na qualidade e higiene de todo o ambiente.

O Açougue Nota 10 foi implementado em 44 unidades da rede Condor Supermercados e, com isso, segundo nota da empresa, garantiu o aumento expressivo da rentabilidade.

“Para o varejista, as vantagens são inúmeras. Com o treinamento oferecido pelo Açougue Nota 10, os açougueiros aprendem a manipular as peças da melhor forma possível e, assim, evitam o desperdício de matéria-prima. Além disso, o programa implementa um 'planograma' de cortes em cada loja, o que evita a ruptura de produtos que o consumidor deseja comprar no ponto de venda”, disse em nota Renato Costa, presidente da JBS Carnes.

“Conquistamos a melhoria na rentabilidade da venda dos cortes bovinos de toda a rede Condor com um atendimento diferenciado. Os benefícios se estendem para os clientes, que levam para casa uma peça já pronta para o preparo das receitas”, finalizou o executivo.

O evento de entrega do prêmio ocorreu no último dia 9 de novembro, em Curitiba (PR). A cerimônia foi comandada pelo presidente da Condor, Pedro Joanir Zonta.

Fonte: Carnetec


Postado em 21 de Novembro às 16h47

Mercoagro 2018 é apresentada em feira na Colômbia

Notícias do Setor (123)Nome Categoria (1)

A próxima edição da Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne (Mercoagro) foi apresentada e divulgada na 14ª Feira Internacional de Processamento e Embalagem para as Indústrias de Alimentos, Cosméticos e Produtos Farmacêuticos (Andina Pack), realizada neste mês, em Bogotá, na Colômbia.

A diretora da Enterprise Feiras & Eventos Maria Antônia Siqueira Ferreira, participou do evento e ressaltou que a exposição é referência dos profissionais da indústria de embalagens.

A Andina Pack teve participação de 500 expositores de 27 países que apresentaram seus produtos e soluções para o setor a um público de 18 mil visitantes de 30 países. “Participar deste evento representa uma excelente oportunidade para divulgarmos a Mercoagro 2018 ao nosso público-alvo, já que reuniu expositores e visitantes do setor do mundo todo”, observou Maria Antônia.

Organizada pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), a Mercoagro 2018 está programada para o período de 11 a 14 de setembro de 2018 no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó. Terá 160 estandes com 250 marcas representadas. A previsão é de 15 mil visitantes/compradores e negócios da ordem de 160 milhões de dólares.

Participarão da exposição empresas dos setores de refrigeração, automação industrial, ingredientes e aditivos, embalagens e tripas, transporte e armazenagem, equipamentos e acessórios, entre outros produtos e serviços para atender a indústria da carne.

A Mercoagro tem a Enterprise Feiras e Eventos no esforço de vendas e assessoramento técnico e apoio da Prefeitura de Chapecó, Facisc, ABIA, ABPA, Chapecó e Região Convention & Visitors Bureau, Fiesc, Senai, Safetranding, Sebrae/SC, Sindicarne, Sihrbasc e Unochapecó.

Foto 01 - Vinícius Luiz Kremer, gerente comercial da Parnaplast, e Gabriela Manfredini Smania, da Parnaplast, empresa presente na feira
Foto 02 - Sérgio Salaya, da Bizerba Argentina, e Pedro Ruedin, da Hoegger, no estande da Multivac
Foto 03 - Maria Antônia Siqueira Ferreira e Tabata Silva da APEX Brasil

MARCOS A. BEDIN
Registro de jornalista profissional MTE SC-00085-JP
Matrícula SJPSC 0172
MB Comunicação Empresarial/Organizacional
Rua Nilópolis, 251 D - Bairro Universitário - 89814-510 - Chapecó/SC
Telefone (49) 3323-4244, celular (49) 9 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br
marcos.bedin@mbcomunicacao.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/mbcomunicacaosc
Twitter: https://twitter.com/#!/MBComunicacao


Postado em 16 de Novembro às 16h44

Garantia de abate halal deve aumentar exportação a países muçulmanos

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 (Mapa) divulgou nesta semana que encaminhará à Congregação Fikh, entidade de jurisprudência muçulmana, estudo que comprova a aplicação no Brasil do método halal. A...

(Mapa) divulgou nesta semana que encaminhará à Congregação Fikh, entidade de jurisprudência muçulmana, estudo que comprova a aplicação no Brasil do método halal.

A medida deverá facilitar negócios e ampliar as exportações brasileiras de carne de frangos e de bovinos para mais de 50 países que integram a congregação.

O ministro interino do Mapa, Eumar Novacki, comprometeu-se a enviar estudo realizado pela Embrapa e pela USP sobre abate que atende a princípios religiosos desses países.

Novacki recebeu comitiva integrada pelo secretário-geral da Congregação Fikh, Abdel Salam Al Abadi, pelo primeiro conselheiro da Liga Mundial Muçulmana, Abdul Al Aziz Mohamad Al Souli, e pelo vice-presidente do Centro de Divulgação do Islã para a América Latina (Cdial Halal), Ali Ahmad Saifi.

Em São Paulo, no fim de semana, a comitiva participou do primeiro congresso halal do Brasil.

O questionamento ao ministro foi quanto à confirmação formal da prática de abate, em complemento a visitas técnicas já realizadas a empresas brasileiras exportadoras. Os muçulmanos fazem questão de informações científicas e oficiais de governo.

Fonte: Carnetec


Postado em 16 de Novembro às 16h40

Vendas à China se aproximam de 40% das exportações de carne bovina

Notícias do Setor (123)

Segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), o apetite chinês pela carne bovina brasileira não dá sinais de arrefecimento. "E ele vem compensando amplamente as quedas de vendas para os países da União Europeia, devido à Operação Carne Fraca, e a não confirmação da abertura do mercado norte-americano sobre o qual se alimentavam muitas expectativas", disse a entidade em nota.

Até outubro, segundo informações da associação, com dados compilados da Secex/Mdic, essas importações cresceram 16,5%, somadas as movimentações realizadas pela cidade-Estado de Hong Kong e as feitas diretamente pelo continente, passando de 375 mil toneladas no mesmo período de 2016 para 449,2 mil toneladas até outubro de 2017, o que significou 37,2% do total exportado pelo país.

Para se ter uma ideia do impacto que a China está causando no setor, em 2014 as importações chinesas de carne bovina significavam 25% do que o Brasil comercializava com o exterior, e em 2005 apenas 4%. De acordo com a Abrafrigo, essas importações têm potencial de crescimento ainda maior porque calcula-se que o aumento da demanda por carnes bovina, suína e de aves na China, devido ao recente movimento de urbanização do país e a mudança nos hábitos alimentares, seja superior a 300 mil toneladas por ano.

"O Brasil acabou de receber a autorização para que 22 novas plantas frigoríficas possam exportar para aquele mercado. Há ainda outras 36 plantas na fila para exportar, em processo de habilitação", lembrou a entidade.

Ainda segundo a Abrafrigo, essas vendas para a China e a retomada de grandes e tradicionais compradores como Rússia, Egito, Irã e Arábia Saudita, garantiram que 2017 será melhor que 2016 para o setor. No acumulado do ano, as exportações já alcançaram 1,2 milhão de toneladas e receita de US$ 4,929 bilhões, contra 1,14 milhão de toneladas e US$ 4,491 bilhões em 2016, num crescimento de 6% em volume e 10% na arrecadação, o que pode levar ao cumprimento da meta de crescimento estimada em 10% para o ano.

O resultado ainda está um pouco distante do recorde brasileiro de 2014, quando o país exportou 1,54 milhão de toneladas, obtendo receita de US$ 7,149 bilhões. "O país caminha para recuperar esse patamar nos próximos anos", finalizou a Abrafrigo.

Fonte: Carnetec


Postado em 16 de Novembro às 16h36

Pif Paf aposta na diversificação de produtos, lança esfirra de frango

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 A Pif Paf Alimentos, empresa mineira de alimentos processados de proteína animal, ampliou sua linha de produtos ao longo de 2017 com foco na praticidade, diversificando ainda mais a produção para além do...

A Pif Paf Alimentos, empresa mineira de alimentos processados de proteína animal, ampliou sua linha de produtos ao longo de 2017 com foco na praticidade, diversificando ainda mais a produção para além do frango congelado.

A estratégia de diversificação de produtos colabora para manter a Pif Paf entre as principais empresas do país no segmento, segundo o gerente de Relações Institucionais da companhia, Cláudio Faria.

“Percebendo a falta de tempo das pessoas no dia a dia e a necessidade de praticidade para o preparo de suas refeições, nós da Pif Paf, através de equipes multidisciplinares, desenvolvemos e aprimoramos constantemente nosso portfólio de produtos, para cada dia mais facilitar o preparo dos alimentos”, disse Faria à CarneTec.

O portfólio de produtos da empresa conta com mais de 300 itens. Somente em 2017, a companhia lançou o Kit Churrasco, fatiados de presunto, apresuntado e mortadela, peito de frango defumado, pizzas duplas, torta de frango, cortes suínos resfriados nas opções filé mignon, barriga, lombo, alcatra, costela e picanha, entre outros.

Neste mês de novembro, a Pif Paf anunciou o lançamento da esfirra árabe de frango, expandindo produtos dentro de sua marca de salgadinhos Ladelli.

Noventa e três por cento da produção da Pif Paf segue para atendimento ao mercado consumidor brasileiro, afetado negativamente neste ano pela crise econômica.

Faria disse que houve leve queda no consumo de carne de frango no primeiro semestre, quando comparado ao mesmo período de 2016, mas que tende haver recuperação neste último semestre. Para 2018, é esperada retomada gradativa do crescimento com consequente melhora nas vendas.

A Pif Paf também espera expandir exportações no futuro. Atualmente, a companhia exporta para 15 países, incluindo Japão, Hong Kong, Cingapura, Rússia, Angola, Cuba e Vietnã. Os principais produtos exportados são cortes de frangos e de suínos.

“Projetamos uma expansão das exportações atrelada ao aumento do volume produzido, neste sentido, pretendemos dobrar a participação das exportações no faturamento da Pif Paf”, disse Faria, sem detalhar quando a empresa deverá alcançar esta meta.

“Para isso, estamos investindo nas fábricas - com o aprimoramento e adequação das linhas de produção, além de estreitarmos o relacionamento com os mercados onde já atuamos.”

A Pif Paf tem dez unidades industriais, 12 unidades produtivas e 11 centros de distribuição. A empresa produz 20 mil toneladas de produtos por mês, entre cortes de aves e suínos, embutidos e massas, e abate 74 milhões de aves e 554 mil suínos por ano.

Fonte: Carnetec


Postado em 10 de Novembro às 12h32

BRF lucra R$ 138 milhões no 3º tri e eleva receita líquida em 2,6%

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 A BRF S.A. teve um lucro de R$ 137,6 milhões no terceiro trimestre, ante R$ 18 milhões no mesmo período do ano passado, em função dos melhores resultados operacionais e impacto positivo da...

A BRF S.A. teve um lucro de R$ 137,6 milhões no terceiro trimestre, ante R$ 18 milhões no mesmo período do ano passado, em função dos melhores resultados operacionais e impacto positivo da adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) no resultado financeiro, informou a empresa na noite de quinta-feira (09).

A companhia registrou uma alta de 2,6% na receita líquida, para R$ 8,7 bilhões, e crescimento de 21,3% no EBITDA (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação), para R$ 1,1 bilhão. A margem EBITDA subiu 1,9 ponto percentual (p.p.) em relação ao terceiro trimestre de 2016, para 12,3%.

No Brasil, a BRF verificou aumento de volumes de vendas nas comparações trimestral (+8,8%) e anual (+4,5%), totalizando 539 mil toneladas no terceiro trimestre.

A empresa ganhou 1,3 p.p. em participação de mercado na categoria Pratos Prontos no terceiro trimestre, na comparação com o segundo trimestre, chegando a 57,2%, segundo dados da empresa de pesquisa de mercado Nielsen. A BRF atribui esse aumento à volta da Lasanha e aos Pratos Prontos da marca Perdigão.

Na categoria Embutidos, a participação de mercado da BRF cresceu 0,8 p.p. ante o segundo trimestre, com impacto positivo da mortadela. Já na categoria Frios, houve uma queda de 0.8 p.p. na participação de mercado, para 54,6%.

A OneFoods, unidade da BRF dedicada aos mercados muçulmanos, registrou crescimento na receita operacional líquida de 23,7% na comparação anual, para R$ 1,9 bilhão, refletindo a consolidação dos resultados da Banvit, maior produtora de aves da Turquia adquirida pela BRF neste ano.

“O sucesso da integração pós-consolidação atrelado às condições favoráveis de demanda e preço proporcionaram resultados acima do esperado, reafirmando o acerto da aquisição”, informou a BRF.

A operação turca da BRF teve margem EBITDA de 23% no terceiro trimestre, acima de sua média histórica.
A Divisão Internacional da BRF, que congrega operações na Ásia, Europa/Eurásia, África e Américas, teve queda de 9,6% na receita líquida, para R$ 2,3 bilhões.

Houve queda de volumes de vendas em todas as regiões, com exceção das Américas, onde o volume de vendas subiu 22% para 16 mil toneladas no terceiro trimestre ante igual período do ano passado.

Na região do Cone Sul, a receita líquida da BRF somou R$ 459 milhões, queda de 3,5% ante o terceiro trimestre do ano passado.

Fonte: Carnetec


Postado em 10 de Novembro às 12h27

Minerva tem alta de 81% no lucro do 3º tri; eleva produção

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 A Minerva Foods teve um lucro líquido de R$ 85,8 milhões no terceiro trimestre, alta de 80,9% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado, como resultado do aumento da...

A Minerva Foods teve um lucro líquido de R$ 85,8 milhões no terceiro trimestre, alta de 80,9% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado, como resultado do aumento da produção no Brasil e consolidação de ativos adquiridos da JBS no Mercosul, informou no início da noite de quinta-feira (09).

A receita líquida da companhia subiu 34,9%, para R$ 3,4 bilhões, recorde para um terceiro trimestre, impulsionada pelo crescimento do volume de vendas e da produção. O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) ajustado da companhia subiu 25,1%, para R$ 311,8 milhões.

Nos últimos meses, a Minerva elevou a utilização da capacidade instalada das unidades brasileiras para acima de 80%, reabriu planta em Mirassol D’Oeste (MS) e iniciou o processo de integração das unidades adquiridas da JBS no Mercosul.

O início da integração dessas unidades impactou a margem EBITDA total, que caiu 0,7 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano passado, para 9,1%.

A Minerva abateu 804,2 mil cabeças de gado no terceiro trimestre, 36,3% acima do volume total abatido no mesmo período de 2016.

Ao longo do terceiro trimestre, a Minerva teve aumento na participação nas exportações de carne bovina em todos os países onde tem operações, na comparação com o segundo trimestre.

No Brasil, a participação da Minerva nas exportações foi de 20%. No Paraguai, a participação passou a 32%, e no Uruguai, a 16%.

“Entendemos que a América do Sul possui todas as vantagens competitivas para se transformar na principal plataforma mundial de produção de carne bovina, seja pela estrutura de custos de produção, seja pelas vantagens naturais que a região oferece”, disse o presidente da Minerva, Fernando Galletti de Queiroz, em comunicado de divulgação dos resultados.

“Por isso, acreditamos que o ano de 2018 deverá ser um ano de crescimento expressivo da participação desta região no mercado mundial.”

Fonte: Carnetec


Postado em 08 de Novembro às 16h11

Exportações de carne bovina sobem 5,2% no ano

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 As exportações brasileiras de carne bovina somam 1,2 milhão de toneladas de janeiro a outubro deste ano, alta de 5,2% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da...

As exportações brasileiras de carne bovina somam 1,2 milhão de toneladas de janeiro a outubro deste ano, alta de 5,2% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec).

O faturamento do setor com as exportações nos primeiros dez meses do ano foi de US$ 4,9 bilhões, alta de 9,6% ante janeiro a outubro de 2016, sinalizando recuperação do setor do impacto da Operação Carne Fraca mais cedo neste ano.

Apenas em outubro, o crescimento das exportações foi de 39,7%, para 144,6 mil toneladas. A receita decorrente dessas vendas somou US$ 605 milhões, crescimento de 38,1% na comparação anual.

A elevação das compras por Hong Kong colaborou para o forte aumento nas exportações brasileiras de carne bovina em outubro, tendo gerado um faturamento 73,1% maior para a indústria brasileira com suas compras no mês passado (US$ 138 milhões), na comparação anual. A cidade-Estado importou 35,7 mil toneladas de carne bovina em outubro, alta de 67,2% ante outubro de 2016.

A China é o segundo maior importador de carne bovina brasileira e comprou 20,6 mil toneladas, gerando faturamento de US$ 92 milhões. Em terceiro lugar, o Egito comprou 19,1 mil toneladas, o equivalente a US$ 66 milhões.

A carne bovina in natura é a principal categoria de produto exportada em outubro (119,1 mil toneladas), com elevação de 42,8% no volume embarcado na comparação com outubro do ano passado. O Brasil também exportou 13,3 mil toneladas de miúdos, 8,5 mil toneladas de carnes industrializadas, 3,2 mil toneladas de tripas e 532 toneladas de carne bovina salgada.

São Paulo foi o principal estado brasileiro exportador de carne bovina, responsável por 33,5 mil toneladas embarcadas, 17,9% a mais que em setembro. O faturamento gerado pelas exportações paulistas foi de US$ 154 milhões, alta de 21,5% em relação à receita de setembro.

Mato Grosso (31,3 mil toneladas), Goiás (18,4 mil), Rondônia (14,9 mil) e Minas Gerais (14,1 mil) vêm em seguida no ranking dos principais estados exportadores de carne bovina do Brasil em outubro.

Fonte: Carnetec


Postado em 08 de Novembro às 15h52

ACIC e Sihrbasc divulgam tarifas dos hotéis para a Mercoagro 2018

Notícias do Setor (123)

A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Chapecó (Sihrbasc) anunciaram as tarifas dos hotéis para a Mercoagro 2018 (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne), programada para o período de 11 a 14 de setembro do próximo ano, em Chapecó. As tarifas, que seriam anunciadas em 1º de dezembro, foram comunicadas um mês antes, nessa semana.

Os visitantes terão à disposição serviços de hospedagem de excelente qualidade a preços compatíveis. De acordo com o gerente do projeto Mercoagro Nadir José Cervelin as tarifas foram mantidas praticamente as mesmas da Mercoagro 2016, somente com pequenos ajustes pontuais. “Isso foi possível devido a grande parceria e comprometimento do setor hoteleiro com a feira”, salientou. “Há aproximadamente 11 meses da realização da feira, as tarifas foram definidas e as reservas já podem ser feitas. Isso demonstra a credibilidade da Mercoagro”, acrescentou o presidente do Sihrbasc, Carlos Klauss.

A rede hoteleira de Chapecó teve uma expansão impressionante nos últimos anos e aumentou a oferta de hospedagem de qualidade.

A tabela com o valor das diárias está disponível no site oficial (www.mercoagro.com.br). Dessa forma, os visitantes poderão antecipar a reserva de hospedagem e programar a viagem a Chapecó.

ORGANIZAÇÃO

A ACIC está mantendo ampla articulação com a Administração Municipal, as organizações de representação da indústria e dos centros de pesquisa, o empresariado e demais parceiros - especialmente hotéis e prestadores de serviços – para assegurar plenas condições técnicas, institucionais e logísticas para a realização da próxima edição. A Mercoagro 2018 está programada para o período de 11 a 14 de setembro de 2018 no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó. Terá 160 estandes com 250 marcas representadas. A previsão é de 15 mil visitantes/compradores e negócios da ordem de 160 milhões de dólares.

LISTA DE HOTÉIS PARA RESERVA

· AJ Hotel - 49-2049-3320 - www.ajhotel.com.br

· Almasty Hotel - 49-3361-2300 - www.almasty.com.br

· Asppen Hotel - 49-3319-2000 - www.asppen.com.br

· Hotel Avenida - 49-3322-3338 - www.hotelavenidachapeco.com.br

· Hotel Bertaso - 49-3361-8888 - www.hotelbertaso.com.br

· Hotel Chapecó Center - 49-3361-8200 - www.hotelchapeco.com.br

· Hotel Chapecó Plus - 49-3361-7200 - www.hotelchapeco.com.br

· Hotel Desbravador - 49-3316-3777 - www.hoteldesbravador.com.br

· Hotel Efapi Center - 49-3321-1300 - www.hotelefapicenter.com.br

· Eston Hotel - 49-3361-8600 - www.estonhotel.com.br

· Golden Hotel - 49-3331-0300 - www.goldenhtl.com.br

· Hiber Hotel - 49-3331-5221 - www.hiberhotel.com.br

· Hotel Holiday - 49-3025-9999 - www.holidaybusiness.com.br

· IBIS Chapeco GM - 49-3311-3000 - www.ibis.com/Chapeco

· Hotel Ideal - 49-3322-3773 - www.hotelidealchapeco.com.br

· Hotel Iguaçu - 49-3323-3443 - www.hoteliguacuchapeco.com.br

· Hotel Kurikaka - 49-3323-1117 - www.hotelkurikaka.blogspot.com

· Hotel Lang Palace - 49-3361-6868 - www.langhotel.com.br

· LH Plaza Hotel - 49-3322-9566 - www.lhplazahotel.com.br

· Hotel Mogano Business - 49-3361-6300 - www.moganohoteis.com.br

· Hotel Mogano Premium - 49-3321-6300 - www.moganohoteis.com.br

· North Hotel - 49-3324-5661 - www.hotelnorth.com.b

· NZ Hotel - www.nzhotel.com.br (inauguração em breve)

· Pratas Thermas Hotel – São Carlos, SC - 49-3325-1400 - www.pratasthermas.com.br

· Hotel Romanville - 49-3331-0900 - www.hotelromanville.com.br

MARCOS A. BEDIN
Registro de jornalista profissional MTE SC-00085-JP
Matrícula SJPSC 0172
MB Comunicação Empresarial/Organizacional
Rua Nilópolis, 251 D - Bairro Universitário - 89814-510 - Chapecó/SC
Telefone (49) 3323-4244, celular (49) 9 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br
marcos.bedin@mbcomunicacao.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/mbcomunicacaosc
Twitter: https://twitter.com/#!/MBComunicacao


Postado em 06 de Novembro às 17h21

Brasil já recuperou mercados de carne, garante Blairo Maggi

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 Em audiência na Comissão de Fiscalização da Câmara dos Deputados, na terça-feira (31), o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, garantiu que "tudo que o...

Em audiência na Comissão de Fiscalização da Câmara dos Deputados, na terça-feira (31), o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, garantiu que "tudo que o Brasil perdeu com a Operação Carne Fraca já conseguiu recuperar". O ministro foi convidado para falar sobre as consequências da operação para as exportações brasileiras e as providências adotadas para evitar novos problemas na fiscalização.

De acordo com o ministro Blairo Maggi, dos 93 países para os quais o Brasil exporta, apenas quatro mercados que têm participação menor no conjunto de importadores continuam fechados. Dos que estão comprando carne brasileira, 33 estão com o comércio regular e 56 mantêm inspeção reforçada.

O ministro revelou ainda que vem sendo estudadas mudanças no sistema de fiscalização que visam acompanhar o crescimento do setor e a necessidade de modernização. Enumerou também modificações já feitas, como o fim de nomeações políticas nas superintendências estaduais do Mapa, o que está em vigor desde maio. Sobre os estudos na área de inspeção, todas as partes envolvidas no processo estão sendo ouvidas, afirmou. “Não vamos fazer nada sem conversar com os servidores e representantes do setor produtivo", observou.

Fonte: Carnetec


Postado em 06 de Novembro às 17h13

China deve habilitar mais 22 plantas brasileiras para exportação de carnes

Notícias do Setor (123)
Expomeat 2017 Vinte e duas plantas frigoríficas brasileiras deverão receber autorização para exportar carnes para a China, informou o ministro da Agricultura Blairo Maggi na quarta-feira (01). Entre essas plantas, 11...

Vinte e duas plantas frigoríficas brasileiras deverão receber autorização para exportar carnes para a China, informou o ministro da Agricultura Blairo Maggi na quarta-feira (01). Entre essas plantas, 11 são produtoras de carnes de aves e outras 11 de carne bovina, segundo a Associação Brasileira de Proteínal Animal (ABPA).

“Agora, só falta a visita técnica no Brasil”, disse o ministro por meio de sua conta no Facebook.

Segundo ele, cada uma das 22 plantas frigoríficas tem potencial de gerar US$ 50 milhões por ano em negócios. “Temos mais 36 plantas que poderão ser credenciadas numa segunda rodada após ajustes de documentos.”

As plantas de carnes de aves pertencem às empresas BRF, Zanchetta Alimentos, GT Foods, Aurora Alimentos, Nutriza Alimentos, Vibra Agroindustrial, Coasul, Mais Frango e Palmali Alimentos. Elas estão localizadas nos estados de São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso, segundo a ABPA.

“Ainda existem etapas a serem cumpridas para a consolidação dos embarques. As habilitações podem render até 10 mil toneladas anuais a mais por cada planta efetivada”, disse o presidente da ABPA, Francisco Turra, em nota.

O Mapa não forneceu detalhes sobre as plantas de carne bovina para as quais espera habilitação até o final da quarta-feira.

O Brasil já exporta carnes à China, mas a ampliação do número de plantas habilitadas era aguardada desde o início de setembro, após viagem do ministro da Agricultura Blairo Maggi ao país asiático.

Fonte: Carnetec