Notícias

Postado em 22 de Março de 2018 às 14h30

Abate de bovinos sobe 3,8% em 2017, de suínos bate recorde e de frangos cai

EXPOMEAT 2019 Os abates de bovinos no Brasil somaram 30,83 milhões de cabeças no ano passado, alta de 3,8% ante 2016, o primeiro crescimento anual após três anos consecutivos de queda, segundo dados divulgados pelo...

Os abates de bovinos no Brasil somaram 30,83 milhões de cabeças no ano passado, alta de 3,8% ante 2016, o primeiro crescimento anual após três anos consecutivos de queda, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quarta-feira (21).

Em 2016, os abates de bovinos no Brasil tinham caído 3,2%, ante 2015, refletindo a baixa disponibilidade de animais e consumo deprimido. No ano passado, houve recuperação na oferta de animais com início da retomada do consumo doméstico e elevação das exportações.

O abate de bovinos em 2017 cresceu em 16 das 27 unidades da Federação pesquisadas, com destaque para Goiás (+355,50 mil cabeças), Minas Gerais (+297,03 mil), Mato Grosso (+227,15 mil), Mato Grosso do Sul (+144,61 mil), Paraná (+85,65 mil) e Rondônia (+68,36 mil).

As principais reduções nos abates foram verificadas no Pará (-86,95 mil cabeças), Tocantins (-42,46 mil), Maranhão (-38,23 mil) e Acre (-25,67 mil).

O estado de Mato Grosso liderou o ranking dos abates, tendo sido responsável por 15,6% do total de bovinos abatidos no Brasil, seguido por Mato Grosso do Sul (11,1%) e Goiás (10,3%).

Os abates contabilizados pelo IBGE consideram aqueles sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária.

Abate de suínos bate recorde
O abate de suínos no ano passado aumentou 2% em relação a 2016, para 43,19 milhões de cabeças, um recorde para o setor desde o início da pesquisa do IBGE em 1997.

Houve crescimento da atividade em 12 dos 25 estados acompanhados, principalmente em Santa Catarina (+772,49 mil cabeças), maior produtor de suínos brasileiro e responsável por 26,6% de todos os abates de suínos realizados no ano passado no Brasil.

Outros crescimentos foram verificados no Paraná (+322,56 mil), Mato Grosso do Sul (+128,18 mil), Minas Gerais (+100,06 mil) e Mato Grosso (+75,78 mil).

Quedas nos abates de suínos ocorreram no Rio Grande do Sul (-334,55 mil cabeças), São Paulo (-81,87 mil) e Goiás (-69,77 mil).

Abates de frangos caem após quatro anos de alta
Uma queda de 0,3% marcou a atividade de abates de frangos no Brasil no ano passado, quando foram abatidas 5,84 bilhões de cabeças, após quatro anos consecutivos de alta.

A agroindústria de carne de frango foi afetada negativamente em 2017 pelos embargos temporários por países importadores do produto e reduções de consumo relacionadas à Operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

As reduções nos abates de frangos ocorreram em nove das 24 unidades acompanhadas pelo IBGE, incluindo Mato Grosso (-40,23 milhões de cabeças), Minas Gerais (-39,78 milhões), Distrito Federal (-13,72 milhões) e Santa Catarina (-11,07 milhões).

As maiores altas nos abates foram verificadas em São Paulo (+26,05 milhões de cabeças), Goiás (+20,20 milhões), Rio Grande do Sul (+15,42 milhões), Bahia (+9,62 milhões), Paraná (+9,51 milhões) e Mato Grosso do Sul (+6,34 mil).

O maior estado produtor de frangos foi o Paraná, que abateu 31,5% do total nacional, seguido por Santa Catarina (14,7%) e Rio Grande do Sul (14,5%).

Fonte: Carnetec

Veja também

Os frigoríficos e a busca pelo planejamento ideal (Blog do Celso Ricardo)05/09/17 Em todos os frigoríficos em que trabalhei, as ações e as preocupações sempre vieram depois que a matéria-prima já tinha sido abatida. Os empresários do setor sempre se importaram primeiramente em ver o curral cheio, para somente depois do abate saber para quem seria destinado o produto. Uma grande parte das empresas do setor trabalha dessa forma, e este tipo de......
Pescado está entre os itens do agronegócio mais importados pelo Brasil em 201627/01/17 O Brasil continua a ser um excelente cliente para os exportadores de pescado mundo afora. Embora os dados do sistema AgroStat (Mapa) compilados pela Seafood Brasil mostrem uma leve diminuição na receita com compras no exterior em 2016 ante o ano......
Cooperativas poderão obter o Selo Agro+ Integridade24/01 As cooperativas agropecuárias poderão obter o Selo Agro+ Integridade (edição 2019-2020) para adicionar nas embalagens de seus produtos. Para tanto, basta que participem de uma seleção de identificação......

Voltar para Notícias (pt)