Notícias

Postado em 03 de Abril de 2017 às 08h35

Análise de laboratório no Paraná aponta resultados satisfatórios para amostras de carnes

O Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR) concluiu que os resultados de testes em amostras de carnes e embutidos coletadas em Curitiba entre segunda e terça-feira (20 e 21 de março) foram satisfatórios, segundo informações da Secretaria de Saúde do estado divulgadas na sexta-feira (31).

Os testes foram realizados em um lote de amostras de dez alimentos coletadas pela Vigilância Sanitária de Curitiba.

As amostras são de carnes resfriadas da Friboi/JBS, carne bovina salgada curada da Novilho Nobre, linguiça tipo calabresa da Sadia/BRF, linguiça mista da BRF, mortadela de frango da Seara/JBS, presunto da Sadia/BRF, salame da Perdigão/BRF e salsichas da Italli/Peccin e da Seara/JBS.

As companhias que tiveram produtos avaliados têm pelo menos uma planta frigorífica, cada, investigada na operação da Polícia Federal Carne Fraca, sobre esquema de corrupção envolvendo fiscais federais agropecuários e funcionários em frigoríficos.

Os testes analisaram aspectos físico-químicos dos alimentos, levando em consideração a legislação para cada tipo de produto, pesquisa de nitrito e sulfito utilizados como conservantes, e determinação de pH, que indica a degradação do produto, informou a Secretaria de Saúde do Paraná em nota.

As carnes também passaram por avaliação microbiológica (clostrídios, estafilococos, coliformes fecais e salmonela), que colabora para identificar eventual contaminação bacteriana, fornecendo informações sobre as condições de higiene do alimento durante sua produção, processamento, distribuição e armazenamento, segundo o chefe da Divisão de Laboratórios de Vigilância Sanitária do Paraná, André Dedecek.

Dez novas amostras coletadas na semana passada ainda passarão por análise do Lacen-PR, que irá monitorar produtos pelos próximos dois meses, com coletas programadas também em outras cidades do Paraná.

Fonte: Carnetec

Veja também

Mapa vai atualizar normas de controle e erradicação do Mal da Vaca Louca04/04 Brasil é classificado com risco insignificante para a doença junto à OIE O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) criou comitê que vai revisar as normas para vigilância, controle, erradicação, certificação e emergência sanitária do Mal da Vaca Louca e todas as formas de Encefalopatias Espongiformes......
Instituto de Tecnologia de Alimentos tem nova direção21/01 A pesquisadora Eloísa Garcia é a nova diretora geral do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), nomeada nesta quinta-feira (17) pelo secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira. Com 35......

Voltar para Notícias (pt)