Notícias

Postado em 05 de Setembro de 2017 às 08h18

China deve ampliar número de frigoríficos brasileiros habilitados à exportação

EXPOMEAT 2019 A China deve aumentar o número de frigoríficos brasileiros habilitados a exportar carnes para aquele mercado, disse na sexta-feira (1) o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Conforme...

A China deve aumentar o número de frigoríficos brasileiros habilitados a exportar carnes para aquele mercado, disse na sexta-feira (1) o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Conforme nota no site do Mapa, o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou a disposição de ampliar a compra de carnes do Brasil durante reunião com o presidente Michel Temer.

“O presidente Xi Jinping disse que gosta e é garoto-propaganda da carne brasileira”, destacou o ministro, ao comemorar a intenção do governo do país asiático. A China, acrescentou Maggi, é o principal parceiro do agronegócio brasileiro no comércio mundial. Em 2016, as exportações de produtos agropecuários do Brasil para aquele mercado somaram US$ 17,8 bilhões.

Maggi está na China na comitiva de Temer, que participa de encontros bilaterais e seminários de negócios em Pequim. Até terça-feira (5), Temer e Maggi cumprem agenda na 9ª reunião de Cúpula do BRICS, bloco formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, na cidade de Xiamen, na província de Fujian.

Dos US$ 17,8 bilhões exportados para a China em 2016, as carnes tiveram participação de US$ 1,75 bilhão. Do total, US$ 702,8 milhões foram embarques de carne bovina. As vendas de frango totalizaram US$ 859,5 milhões e, as de suíno, US$ 189,3 milhões.

A soja em grão é o principal produto da pauta de exportações do agro brasileiro para o mercado chinês. No ano passado, os embarques para a China alcançaram US$ 14,4 bilhões.

Fonte: Carnetec

Veja também

Frimesa 40 anos: pronta para novos recordes23/09/18 (Fotos: Arquivo Frimesa/Divulgação) Detentora da maior planta de abate de suínos do Brasil, com 6,9 mil cabeças abatidas por dia, a cooperativa do oeste paranaense se prepara para inaugurar outra unidade industrial ainda maior, que abaterá diariamente 15 mil suínos até 2030, a maior da América Latina; com planejamento, investimento e quatro décadas......
China, Chile e Egito retomam compras de carnes brasileiras27/03/17 China, Chile e Egito anunciaram ao governo brasileiro a retomada das compras de carnes produzidas no Brasil, sendo que a suspensão de embarques ficará restrita apenas às plantas frigoríficas investigadas na Operação......
Alegra fatura R$ 512,4 milhões em 201706/03/18 A Alegra, marca de carne suína administrada pelas cooperativas Frísia, Castrolanda e Capam, teve um faturamento de R$ 512,4 milhões em 2017, aumento de 38% ante 2016, segundo informações divulgadas pela Frísia. A......

Voltar para Notícias (pt)