Notícias

Postado em 21 de Fevereiro de 2017 às 09h16

EMPRESÁRIO FATURA R$ 15 MILHÕES FAZENDO GELO

A MAC Total Ice fabrica máquinas de gelo por R$ 175 mil para o Brasil e outros países

A MAC Total Ice nasceu da união dos conhecimentos técnicos de um pai e do espírito empreendedor do filho. Há mais de 30 anos, o Seu Antonio Carlos de Luca produzia máquinas de gelo de forma artesanal. Em 2010, Alexandre de Luca, o filho, largou a faculdade de engenharia e resolveu pegar o know-how da família e transformar em uma fábrica, na cidade de Indaiatuba, interior de São Paulo. “Criamos um negócio com cara de indústria mesmo”, afirma Alexandre, 28 anos.

A ideia de produzir as máquinas de gelo surgiu pela grande procura pelo produto. Locais como padarias, hotéis, abatedouros de aves e restaurantes consomem dezenas de quilogramas de gelo diariamente, segundo Alexandre. E ele detalhou sobre setores mais inusitados que utilizam o produto. “Na construção civil, o pessoal precisa de centenas de quilos só para manter a água dos trabalhadores gelada. É lei”, explica.

Hoje, a MAC Total Ice constrói em torno de 60 máquinas por ano e possui uma equipe de 60 funcionários. Cada máquina custa, em média, R$ 175 mil e é capaz de produzir mais de uma tonelada de gelo por dia. A máquina é de fácil manuseio e instalação. O empreendedor precisa somente de energia e água para começar a utilizar o produto.

A empresa oferece duas opções de máquina: uma para gelo em escama, outra para gelo em cubo. Cada uma atende diferentes mercados e eles fornecem orientação para o empreendedor escolher a máquina mais adequada. Clientes com maiores demandas podem encomendar máquinas maiores por até R$ 500 mil.

Em 2016, a empresa teve faturamento de R$ 15 milhões e pretende crescer 30% neste ano. A ideia é ampliar a presença em mercados internacionais. “Hoje, estamos presentes no Brasil, América Latina e África”, disse o CEO.

Para começar o negócio, Alexandre contou com um amigo da família que comprou a primeira máquina por R$ 100 mil. Com esse capital, a empresa pode começar a funcionar no interior de São Paulo. “Meu pai vivia dizendo que eu estava louco, e ainda diz. Afinal, eu fui pra Indaiatuba sem nada. Zero. Construímos o negócios com suor e até um pouco de sangue”, completa Alexandre.

Fonte: globo.com

Veja também

Flamboiã investe em embalagem termoformada com atmosfera modificada para cortes de frango30/01/17 A Flamboiã, empresa de Cabreúva (SP) com 47 anos de atuação no mercado de frangos, aderiu às embalagens termoformadas com atmosfera modificada (ATM). De acordo com o gerente industrial da Flamboiã, Osvaldo Camacho, o objetivo principal é inovar com qualidade percebida, fazendo com que a empresa paulista seja reconhecida por seu padrão de qualidade.......
Cooperativas catarinenses crescem 36% nos últimos 4 anos02/05/18 Suzin apresenta balanço do cooperativismo em SC (Divulgação) O cooperativismo catarinense – estruturado no campo e na cidade – continua em ascensão e cresceu 36,54% no quadriênio 2014-2017, mantendo uma......

Voltar para Notícias (pt)