Notícias

Postado em 16 de Novembro de 2017 às 16h40

Vendas à China se aproximam de 40% das exportações de carne bovina

Segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), o apetite chinês pela carne bovina brasileira não dá sinais de arrefecimento. "E ele vem compensando amplamente as quedas de vendas para os países da União Europeia, devido à Operação Carne Fraca, e a não confirmação da abertura do mercado norte-americano sobre o qual se alimentavam muitas expectativas", disse a entidade em nota.

Até outubro, segundo informações da associação, com dados compilados da Secex/Mdic, essas importações cresceram 16,5%, somadas as movimentações realizadas pela cidade-Estado de Hong Kong e as feitas diretamente pelo continente, passando de 375 mil toneladas no mesmo período de 2016 para 449,2 mil toneladas até outubro de 2017, o que significou 37,2% do total exportado pelo país.

Para se ter uma ideia do impacto que a China está causando no setor, em 2014 as importações chinesas de carne bovina significavam 25% do que o Brasil comercializava com o exterior, e em 2005 apenas 4%. De acordo com a Abrafrigo, essas importações têm potencial de crescimento ainda maior porque calcula-se que o aumento da demanda por carnes bovina, suína e de aves na China, devido ao recente movimento de urbanização do país e a mudança nos hábitos alimentares, seja superior a 300 mil toneladas por ano.

"O Brasil acabou de receber a autorização para que 22 novas plantas frigoríficas possam exportar para aquele mercado. Há ainda outras 36 plantas na fila para exportar, em processo de habilitação", lembrou a entidade.

Ainda segundo a Abrafrigo, essas vendas para a China e a retomada de grandes e tradicionais compradores como Rússia, Egito, Irã e Arábia Saudita, garantiram que 2017 será melhor que 2016 para o setor. No acumulado do ano, as exportações já alcançaram 1,2 milhão de toneladas e receita de US$ 4,929 bilhões, contra 1,14 milhão de toneladas e US$ 4,491 bilhões em 2016, num crescimento de 6% em volume e 10% na arrecadação, o que pode levar ao cumprimento da meta de crescimento estimada em 10% para o ano.

O resultado ainda está um pouco distante do recorde brasileiro de 2014, quando o país exportou 1,54 milhão de toneladas, obtendo receita de US$ 7,149 bilhões. "O país caminha para recuperar esse patamar nos próximos anos", finalizou a Abrafrigo.

Fonte: Carnetec

Veja também

CSB-System vai expor seus principais produtos na feira EXPOMEAT12/04/17   "A CSB System é especialista em TI para a indústria alimentícia, especialmente para a indústria da carne. Nossas soluções atraíram muita atenção em outros eventos aonde fomos premiados por nosso conceito em inovação. Este ano estamos com grande expectativa de que nosso visitantes na EXPOMEAT também possam comprovar......
FLUXO vai expor seus principais produtos na feira EXPOMEAT20/04/17 Fabricante de equipamentos eletrônicos industriais. Assistência técnica em equipamentos eletrônicos industriais. Vendas de insensibilizadores de aves e suínos, inversores de frequência e softstarts ABB, indicadores e......
LINCO vai expor seus principais produtos na feira EXPOMEAT24/03/17 Na indústria transformadora de alimentos de hoje a missão da Baader é fornecer as melhores soluções para produzir alimentos seguros em todo o mundo. Nosso objetico é reduzir o trabalho eliminando tarefas manuais......

Voltar para Notícias (pt)