21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 23 de Novembro de 2017 às 12h30

ABPA e Abiec dizem que carnes vendidas à Rússia não têm ractopamina

EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras...

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) afirmaram na terça-feira (21) que as carnes suína e bovina embarcadas para a Rússia não utilizam a substância ractopamina, após a Rússia anunciar a suspensão temporária das importações.

“O setor está seguro sobre as características de seu produto, e garante que a produção de carne suína embarcada não utiliza ractopamina”, informou a ABPA em nota.

“A comercialização da ractopamina e outros betabloqueadores para bovinos está suspensa desde o final de 2012 pelo governo brasileiro. Portanto, esta substância tem o seu uso proibido para bovinos, não existindo a necessidade de segregação da produção para atendimento ao mercado russo”, informou a Abiec em nota separada.

Todas as importações de carne suína e bovina brasileiras foram suspensas temporariamente pela Rússia, segundo decisão anunciada nesta semana e válida a partir de 1º de dezembro. O órgão de segurança sanitária russo Rosselkhoznadzo atribui a suspensão à presença da substância ractopamina em alguns carregamentos vindos do Brasil.

A ABPA disse que recebe a notícia com “preocupação” e que a suinocultura brasileira trabalha seguindo os princípios de qualidade e sanitários exigidos pelos diversos países, incluindo Rússia e mais 70 mercados importadores do produto.

A Abiec informou que desde 2013 não há histórico de qualquer tipo de notificação pelas autoridades russas referentes ao uso de ractopamina em bovinos e que, caso necessário, a indústria está pronta para atender a novos critérios. “A Rússia é um grande parceiro do Brasil no setor de carne bovina, um tradicional comprador com o qual estabelecemos excelente interlocução técnica”, disse a entidade.

Fonte: Carnetec

Veja também

Frimesa 40 anos: pronta para novos recordes23/09/18 (Fotos: Arquivo Frimesa/Divulgação) Detentora da maior planta de abate de suínos do Brasil, com 6,9 mil cabeças abatidas por dia, a cooperativa do oeste paranaense se prepara para inaugurar outra unidade industrial ainda maior, que abaterá diariamente 15 mil suínos até 2030, a maior da América Latina; com planejamento, investimento e quatro décadas......
C O M U N I C A D O - Mercoagro transferida para 202104/08/20 A pandemia do novo coronavírus que assola todos os continentes e faz centenas de milhares de vítimas em todos os países alterou profundamente a realidade social econômica do Planeta, exigindo dos Governos e da sociedade civil uma......

Voltar para Notícias (pt)