EXPOMEAT
de 15 a 17 de Março de 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 01 de Dezembro de 2020 às 11h29

Brasil deve quebrar novos recordes na suinocultura em 2021, diz Rabobank

Notícias do Setor (664)
EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal O mercado suinícola brasileiro deverá quebrar novos recordes de exportação em 2021. A projeção é...

O mercado suinícola brasileiro deverá quebrar novos recordes de exportação em 2021. A projeção é do Rabobank, que divulgou nesta quarta-feira (25) o relatório Perspectivas para o agronegócio brasileiro. As exportações serão novamente guiadas pela China, apesar de o país recuperar boa parte do seu rebanho perdido para a peste suína africana.

O Rabobank cita novos componentes que devem contribuir para o avanço das exportações brasileiras para além da marca de 1 milhão de toneladas embarcadas. A PSA continua sendo elemento chave, uma vez que assola outros países importantes do sudeste asiático, como Vietnã e Filipinas. No entanto, outro ponto importante foi a entrada da doença no território da Alemanha.

Segundo o banco holandês, esse fato levou à suspensão dos embarques para a China, o que desequilibrou os níveis de oferta e demanda no país. Além disso, gerou preocupação com a potencial entrada do vírus em outros países importantes na produção suína, como Holanda, Dinamarca e Espanha.. Isso agravaria ainda mais a disponibilidade da proteína suína no mundo.

Diante desse cenário, no próximo ano as exportações para o mercado chinês devem se manter aquecidas, e o Rabobank projeta um novo aumento recorde de 6% no volume embarcado.

Em relação à oferta, de acordo com dados da PTA-IBGE, a produção de carne suína cresceu 8% no primeiro semestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior, porém, deve finalizar o ano com aumento de 4,5%, afirma o Rabobank. Isso porque os incrementos de produção no ano passado se concentraram no 2° semestre. Para 2021, o Rabobank projeta crescimento da produção ao redor de 2,5%, puxado pelo cenário de recuperação da demanda interna e pela melhora do setor neste ano, que deve estimular investimentos na produção com o intuito de aproveitar o bom momento do mercado internacional.

O cenário de dicotomia entre mercado externo, em alta, e mercado interno em queda, somado aos fortes aumentos de custos da ração e da reposição animal, devem favorecer ainda mais a concentração do mercado tanto dentro como fora da porteira.

O início de 2021 será o primeiro desafio para o setor, com a redução sazonal na demanda para a China em janeiro, somada ao menor consumo doméstico nesse período, pode trazer um cenário de pressão nos preços do atacado/varejo com o próprio mercado testando o poder de compra do consumidor.

Fonte: Suinocultura Industrial

Veja também

Aumentam as exportações de carne pelos Portos do Paraná30/01/20 As exportações de carne, pelo Porto de Paranaguá, subiram 17,58%. Em 2019, durante todo o ano, foram mais de dois milhões de toneladas; em 2018, 1,7 milhão. Com as medidas do Ministério da Agricultura que reforçam o reconhecimento do Paraná como área livre de peste suína clássica e que abrem caminho para o status de área livre de......
Frísia teve receita recorde no primeiro semestre de 202115/09 A cooperativa paranaense Frísia fechou o primeiro semestre com receita líquida de R$ 2,472 bilhões, a maior para o período em seus 96 anos de história. O faturamento foi 53,9% maior que o registrado nos seis primeiros meses......

Voltar para Notícias (pt)