09 A 11
DE novembro DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 06 de Fevereiro de 2020 às 16h01

Brasil exportou 42,1% a mais que a média de janeiro de 2019

Notícias do Setor (571)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal As exportações de carne suína in natura vêm registrado alta nos preços da tonelada embarcada e também no...

As exportações de carne suína in natura vêm registrado alta nos preços da tonelada embarcada e também no volume quando comparado ao mesmo mês de 2019. Em volume, até o dia 24, o Brasil embarcou 46,0 mil toneladas. Com 17 dias úteis no período a média diária de embarques é de 2,7 mil toneladas, 42,1% maior que a média registrada em janeiro de 2019 quando a média era de 1,9 mil toneladas por dia.

Em valores monetários as exportações somam na parcial do mês US$ 119,9 milhões, o total registrado para o mês janeiro em 2019 foi US$ 84,1 milhões. O valor pago por tonelada embarcada valorizou 30% na comparação com 2019. Naquele período o preço pago era de US$ 2009,00, já na parcial desse mês a média de preço registrada é de US$ 2609,00.

Em janeiro de 2019 as exportações brasileiras ainda enfrentavam o déficit deixado pela Rússia ao fechar o mercado para a carne suína brasileira, mas com os casos de Peste Suína Africana na Ásia, especialmente na China, o maior produtor mundial, o Brasil recuperou as exportações. As expectativas para os próximos meses é de que esse bom desempenho seja mantido.

RESULTADOS GERAIS

Na quarta semana de janeiro de 2020, a balança comercial registrou déficit de US$ 561 milhões e corrente de comércio de US$ 5,693 bilhões, resultado de exportações no valor de US$ 2,566 bilhões e importações de US$ 3,127 bilhões. No mês, as exportações somam US$ 11,397 bilhões e as importações, US$ 11,041 bilhões, com saldo positivo de US$ 356 milhões e corrente de comércio de US$ 22,437 bilhões.

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja também

Cooperativas pretendem investir R$ 23 bi até 202507/07 Impulsionado pelos segmentos agropecuário, de crédito e de saúde, o faturamento das 217 cooperativas paranaenses cresceu 31,8% em 2020, para o recorde de R$ 115,7 bilhões, e ajudou o Estado a enfrentar o primeiro impacto da covid-19 sobre a economia local. A receita foi quase o dobro dos R$ 60,3 bilhões de 2015, em valores nominais, e para 2021 o setor estima alta de 10% a 12%,......

Voltar para Notícias (pt)