EXPOMEAT
É ADIADA PARA 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 22 de Março às 18h09

Com aumento do consumo, carne suína ganha mais espaço na mesa dos brasileiros

Notícias do Setor (642)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal Há 5 anos, o consumo de carne suína per capita no Brasil era de 14,47 kg por pessoa. Hoje, o consumo percorreu um longo caminho e...

Há 5 anos, o consumo de carne suína per capita no Brasil era de 14,47 kg por pessoa. Hoje, o consumo percorreu um longo caminho e atingiu a marca de 16,86 kg, segundo dados referentes ao ano passado e publicados nesta quinta-feira (18/03) pelo IBGE.. Muito deste aumento se deve ao espaço que a proteína ganhou no carrinho de compras dos supermercados durante o último semestre. Segundo uma pesquisa realizada pela Horus, uma empresa de inteligência de mercado, através das notas fiscais do varejo, em julho do ano passado a cada 100 compras no supermercado, uma continha carne suína. Em 2021 este número dobrou e o índice subiu para duas compras de carne suína a cada 100, caracterizando um aumento de 80% no período de seis meses.

Outro fator de impacto tem sido o cenário econômico que abre espaço para que a carne suína se apresente aos consumidores como a opção financeiramente mais interessante de carne vermelha. A alta da carne bovina vem sendo observada desde o ano passado e apontada por diversos especialistas, sendo pauta de jornais como a BBC e o Canal Rural, que previam que a medida que o preço da carne bovina subisse, o consumo diminuiria significativamente, abrindo assim uma grande oportunidade para a proteína suína se destacar na mesa dos brasileiros. Dados da Horus apontam que a carne suína ganhou mais espaço até em relação a outros alimentos, como verduras e legumes.

Essa tendência também já era esperada em decorrência da transferência de renda executada pelo auxílio emergencial que aumentou consideravelmente o poder de compra da população menos favorecida que com mais dinheiro no bolso passou a investir mais na alimentação. Em 2020, por causa do cenário de pandemia, o volume de itens consumidos dentro dos domicílios de todas as faixas de renda cresceu 4% em relação a 2019. Entre as classes D e E, o avanço foi o dobro, chegando a 8%, segundo uma pesquisa da consultoria Kantar. Presunto e apresuntados passaram a ser consumidos por 8,5 milhões de famílias e outras 4,5 milhões foram às compras de linguiça. Em média, o gasto com itens da cesta básica (como carnes) entre beneficiários do auxílio cresceu em 16%.

Esses resultados são comemorados pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), que encara os números como uma boa notícia. Para Marcelo Lopes, presidente da Associação, os números refletem o trabalho desenvolvido pela entidade em promover o consumo de carne suína e em aproveitar as oportunidades oferecidas pelo mercado. “Comemoramos os resultados pois trabalhamos todos os dias para alcançá-los.. A carne suína se mostra mais uma vez como a proteína animal que mais cresce no Brasil, e sabemos que ainda tem muito espaço para crescer.” A diretora de marketing e projetos, Lívia Machado completa dizendo que “com uma análise feita em período total de pandemia, fica claro o comportamento do consumidor em manter e ampliar o consumo das proteínas, e que mesmo com a alta nas mesmas, ele segue e seguirá comprando.”

Aproveitando o bom momento e essa nova tendência de consumo a ABCS tem trabalhado na criação de uma campanha de promoção da carne suína que será realizada a níveis estaduais em parceria com açougues, buscando reforçar mais ainda a competitividade em relação a preços e benefícios oferecidos e atingindo um novo público.

Fonte: ABCS

Veja também

Ingredientes e nutrientes de 90 hambúrgueres industrializados são analisados em novo estudo do Ital09/09 Como parte das comemorações de aniversário de 58 anos, celebrado em 30 de agosto, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) lançou nesta sexta-feira (27) o sétimo estudo da Série Alimentos Industrializados 2030, Hambúrgueres Industrializados: nutrição prática de forma segura e sustentável. Ao todo foram analisados 90 produtos......

Voltar para Notícias (pt)