21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 30 de Outubro de 2017 às 10h24

C.Vale inaugura novo complexo de abate de tilápias

O complexo industrial com o maior potencial para o abate de tilápias do Brasil foi inaugurado em 20 de outubro por um séquito de autoridades lideradas pelo presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Na ocasião, porém, o presidente da cooperativa C.Vale, Alfredo Lang, incluiu uma crítica à política energética do governo que vai interferir nos planos da empresa.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou em 24/10 que pretende aumentar o patamar 2 da bandeira tarifária vermelha em 42,8%. O custo da energia atinge diretamente o sistema de cultivo intensivo de altas densidades (60 tilápias/m²) patenteado pela cooperativa, que envolve o uso intenso de aeração - equipamentos que consomem muita energia elétrica.

“Nossos planos eram adotar a tecnologia superintensiva de imediato, mas fomos surpreendidos pelas bandeiras tarifárias que encareceram o custo da energia elétrica. Assim, fomos obrigados a lançar o plano B, com o sistema convencional de tanques escavados”, disse o presidente. Lang confirmou que o plano B é a adoção de células fotovoltaicas para produção de energia solar nas propriedades.

O sistema de cultivo, desenvolvido em parceria com a Universidade de Pisa, na Itália, é a grande aposta da cooperativa para se diferenciar do principal competidor e maior processador nacional: a Copacol, que deve fechar o ano com 140 mil peixes abatidos por dia.

C.Vale em números
Seja como for, o complexo com fábrica de ração e abatedouro de peixes nasceu oficialmente para os cooperados do oeste paranaense com números impressionantes para a realidade do setor. Com projeção inicial de processar 75 mil tilápias/dia, a estrutura tem 10.012 m² e consumiu R$ 110 milhões em investimentos.

A inauguração marca os 20 anos da cooperativa, que pretende cruzar a barreira de 600 mil frangos por dia em 2018. Quando começou, em 1997, eram 16 mil frangos/dia. Para tanto vai contar com uma força de trabalho impressionante: mais de 19 mil associados e quase 9 mil funcionários.

A meta para as aves é a mesma que pode ser atingida pelo projeto do frigorífico no auge: 600 mil tilápias/dia. Em torno de 450 funcionários irão operar maquinário presente nas mais modernas plantas de processamento de pescado no mundo.

Fonte: Seafood

Veja também

Gastos com nutrição sobem e custos de produção de aves e suínos têm nova alta23/11/17 Os custos mensais de produção de suínos e de frangos de corte calculados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa (Cias) voltaram a registrar aumentos, desta vez no mês de outubro. O ICPFrango/Embrapa subiu 2,74%, e fechou o mês em 183,17 pontos. Já o ICPSuíno/Embrapa encerrou o décimo mês do ano com elevação um......
JBS estima alta em vendas com nova linha de pescados17/04/18 A JBS S.A. está lançando uma linha de pescados congelados para os segmentos de varejo e food service, com a qual espera elevar em 25% o volume de vendas da marca Do Chef Friboi, anunciou a empresa na segunda-feira (16). O lançamento......

Voltar para Notícias (pt)