EXPOMEAT
de 15 a 17 de Março de 2022

Das 14h às 20h
Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 09 de Setembro às 13h18

Em 2021 Brasil retorna ao posto de 2º produtor mundial de carne de frango, aponta USDA

Notícias do Setor (667)
EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal Depois de, no biênio 2019/2020, perder o lugar para a China, neste exercício o Brasil retorna à posição de...

Depois de, no biênio 2019/2020, perder o lugar para a China, neste exercício o Brasil retorna à posição de segundo maior produtor mundial de carne de frango, posto que deve manter em 2022 – aponta o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA).

Para aquele órgão, em 2021 a produção brasileira de carne de frango registra aumento anual de 3,39%, com isso chegando aos 14,350 milhões de toneladas. Já a produção da China tende a recuar cerca de 4% no ano, não passando dos 14 milhões de toneladas.

Por ora, fiquemos com as projeções relativas ao Brasil. Elas sugerem que, a despeito de todas as dificuldades enfrentadas desde 2020 e exacerbadas em 2021, a produção continuará em expansão. O previsto para 2022 é um volume superior a 14,7 milhões de toneladas, 2,5% a mais que o estimado para o corrente exercício.

Embora os volumes apontados sejam mínimos, chama a atenção nas atuais projeções a indicação de que o Brasil importou (2020) e deve importar (2021 e 2022) cerca de 5 mil toneladas de carne de frango. Conforme o USDA, 76% desse volume provêm da Argentina e os restantes 24% do Chile. Entre janeiro e julho essas importações somaram 3 mil toneladas.

No tocante às exportações brasileiras de carne de frango em 2021, o USDA corrigiu em mais de 5% sua projeção anterior (3,850 milhões de toneladas) e agora prevê que os embarques superarão os 4,050 milhões de toneladas. E sugere que, no ano que vem, ocorra aumento de pelo menos 3% em relação ao previsto para este ano, com o que o volume exportado pode aproximar-se dos 4,2 milhões de toneladas.

Neste caso, é sempre oportuno lembrar que as estimativas não incluem as exportações de pés/patas de frango – item que não dispõe de um código específico no sistema brasileiro. Por outro lado, o USDA passou a incluir, a partir deste relatório, as exportações brasileiras de carne de frango salgada, com ajuste retrospectivo nas estatísticas do órgão até 2006.

Sob tal panorama, a disponibilidade interna – estimada em pouco mais de 10 milhões de toneladas em 2020 – irá aumentar perto de 3% em 2021 e pouco mais de 2% em 2022.

Para acessar, no site do USDA, o relatório assinado por Camila Aquino (com aprofundada análise de mercado) sobre as tendências da carne de frango brasileira em 2021 e 2022:
https://apps.fas.usda.gov/newgainapi/api/Report/DownloadReportByFileName?fileName=Poultry%20and%20Products%20Annual_Brasilia_Brazil_09-01-2021

 

Fonte: AviSite

Veja também

ABPA e Apex realizam ação promovendo proteína brasileira durante Olimpíada27/07 A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realiza uma ação de imagem para destacar a qualidade da proteína animal brasileira durante a realização dos Jogos Olímpicos em Tóquio, informou a ABPA em......

Voltar para Notícias (pt)