21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 01 de Setembro de 2020 às 10h34

Embarques ao mercado árabe cresceram 16,9%

Notícias do Setor (356)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal Que o mercado árabe desempenha um papel de grande importância para o índice de exportação nacional, isso...

Que o mercado árabe desempenha um papel de grande importância para o índice de exportação nacional, isso já não é novidade. Contudo, como pontua o relatório divulgado pelo Departamento de Inteligência de Mercado da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, os embarques referentes à região somaram US$ 7,1 bilhões nos sete primeiros meses deste ano.

Segundo a certificadora Cdial Halal, as vendas brasileiras apresentaram crescimento de 16,9% em relação ao mesmo período de 2019. Neste comparativo, dentre os produtos mais exportados, estão a carne de frango, a carne bovina e o milho.

CERTIFICADO

Como requisito imprescindível para a ação, é necessário que tenha a certificação halal, respeitando à jurisprudência islâmica.

“As exigências de exportação estão cada vez mais altas, principalmente, para os países árabes e islâmicos em diversas categorias. Toda cadeia deve ser certificada desde a matéria-prima, insumos, transporte e armazenamento, inclusive as empresas que prestam serviços para as fabricantes. É importante que as empresas entendam que é um conceito geral e não basta o produto ter um selo de certificação na embalagem para ingressar neste mercado. Eles querem entender todo o processo para ter certeza da validação da certificação halal de acordo com as leis islâmicas”, explica o gerente comercial da Cdial Halal, Omar Chahine.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food

Veja também

Alegra: Novas gerações despertam em indústrias alimentícias urgência de olhar para bem-estar animal08/12/20 Qual é a origem da carne que você consome? Esse é um ponto que vem sendo debatido com cada vez mais frequência no mundo. No Brasil, a discussão ainda engatinha, capitaneada principalmente pelas novas gerações de consumidores. Uma pesquisa realizada pela World Animal Protection já demonstrava, lá em 2016, que nove em cada dez brasileiros acreditam que um......

Voltar para Notícias (pt)