21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 09 de Outubro de 2020 às 14h30

Embrapa e instituição dos EUA firmam acordo para pesquisa sobre influenza suína

Notícias do Setor (349)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal (Foto: Jairo Backes/Embrapa Suínos e Aves) A Embrapa e o National Centers for Animal Health (NCAH), vinculado ao Agricultural Research...

(Foto: Jairo Backes/Embrapa Suínos e Aves)

A Embrapa e o National Centers for Animal Health (NCAH), vinculado ao Agricultural Research Service (ARS) dos Estados Unidos, acabam de formalizar um acordo de cooperação no desenvolvimento de pesquisas voltadas ao diagnóstico e produção de vacinas eficazes para o controle da influenza A em suínos, informou a Embrapa Suínos e Aves na quarta-feira (07).

Considerada pela Embrapa um dos principais desafios na área de sanidade animal, a doença, apesar de ser conhecida e considerada endêmica em suínos em muitos países, preocupa especialistas em função da ocorrência e do surgimento de novas variantes virais que dificultam o controle e o diagnóstico.

A Embrapa Suínos e Aves lidera projetos na área desde 2005 e a colaboração com o ARS representa, segundo a entidade brasileira, oportunidade de avançar no conhecimento que possibilitará quantificar a evolução genética e antigênica dos vírus que circulam em suínos no Brasil e a sua relação com os vírus da influenza humana. Assim, o objetivo é avaliar o risco de transmissão interespécies e desenvolver abordagens de vacinação racional em suínos.

Segundo Rejane Schaefer, pesquisadora da Embrapa Suínos e Aves e líder do projeto, a influenza em suínos é causa de significativas perdas econômicas na suinocultura. “O vírus provoca uma infecção respiratória aguda, semelhante ao que é observado em humanos”, disse ela em nota, ressaltando que, em suínos infectados, pode ocorrer redução do ganho de peso, com a necessidade do consumo de antimicrobianos para combater as infecções bacterianas secundárias.

A pesquisadora explicou que a influenza é uma zoonose e a transmissão viral entre suínos e humanos é bidirecional, ou seja, humanos transmitem o vírus para suínos, assim como suínos podem transmitir o vírus para humanos. “Por isso, é tão importante avaliar as mudanças (mutações) que ocorrem em vírus isolados de suínos para estudar a evolução da diversidade viral e identificar vírus que apresentem potencial para causar pandemias de influenza em humanos”, afirmou.

Nas pesquisas desenvolvidas, os vírus de suínos são isolados, é feito o sequenciamento genético, e caracterização antigênica dos vírus ante um painel de anticorpos produzidos contra o vírus influenza de suínos e de humanos. “Realizamos a caracterização genética viral (pela análise das sequências gênicas geradas por sequenciamento de última geração) e caracterização antigênica (pela análise por cartografia antigênica)”, disse ela.

Sobre o benefício da colaboração entre as instituições de pesquisa brasileira e norte-americana, Rejane destaca o compartilhamento de reagentes gerados pelo NCAH (painel de soros produzidos contra vírus da influenza de origem humana e suína) para a realização de teste de reatividade cruzada entre os vírus da influenza isolados de suínos no Brasil. “Os dados gerados serão combinados e compartilhados para completar o mapa antigênico e para incorporar os dados brasileiros em uma visão global dos vírus influenza A em suínos.”

A formalização do acordo de cooperação foi articulada pelo coordenador do Labex EUA, Alexandre Varella, e a equipe da Embrapa Suínos e Aves. O recebimento e administração dos recursos financeiros destinados à pesquisa ficará a cargo da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), que mantém parceria com instituições nacionais e internacionais no apoio à submissão de projetos e prestação de contas às agências financiadoras.


Fonte: Carnetec

Veja também

Carne Angus Certificada fecha números de exportação de 202016/02 Com foco nos embarques para a China, a exportação de Carne Angus Certificada atingiu novo recorde em 2020. Conforme dados apurados pela Associação Brasileira de Angus, foram enviadas ao mercado externo 597,716 toneladas de Carne Angus ao longo do ano. Os chineses abocanharam 42,7% desse montante, adquirindo 255 toneladas. “Nos últimos anos, a Angus vinha avançando nos......
Alegra espera faturar R$ 800 milhões em 202004/11/20 A processadora de carne suína Alegra espera fechar 2020 com um faturamento de R$ 800 milhões, informou a empresa localizada em Campos Gerais (PR). O superintendente da Alegra, Matthias Rainer Tigges, disse que a pandemia de covid-19......

Voltar para Notícias (pt)