EXPOMEAT
de 15 a 17 de Março de 2022

Das 14h às 20h
Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 01 de Dezembro de 2020 às 11h44

Exportação e produção de carne de frango no Brasil devem subir 1% em 2021

Notícias do Setor (668)
EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal Os volumes de exportações e produção de carne de frango brasileira devem aumentar 1% em 2021, em relação...

Os volumes de exportações e produção de carne de frango brasileira devem aumentar 1% em 2021, em relação a 2020, segundo estimativas do Rabobank divulgadas na quarta-feira (25).

“A Arábia Saudita, que tem elevado as importações nos últimos meses, deve manter os níveis de demanda no próximo ano, por conta de desafios adicionais com a gripe aviária e expectativa de maior consumo doméstico com a retomada das viagens de negócios e turismo”, disse o Rabobank em relatório.

O país do Golfo Pérsico, que historicamente era o principal comprador de carne de frango do Brasil, vem reduzindo as importações desde o ano passado com objetivo de atingir um nível de autossuficiência da produção de 80% até 2025, ante 60% atualmente.

Apesar disso, a Arábia Saudita tem elevado os volumes de importações de carne de frango desde julho, mesmo com aumento na produção local, segundo o Rabobank.

A China, atual principal destino da carne de frango brasileira, também deve continuar a comprar grandes volumes do produto no ano que vem apesar do investimento na expansão da produção.

“Mesmo com a projeção de aumento de 15% na produção chinesa de carne de frango este ano, após o incremento de 10% em 2019, os embarques para o país asiático se mantiveram crescentes. Isso mostra que o déficit de oferta de proteína animal para o consumidor interno, mesmo com o cenário da pandemia e isolamento social, ainda permanece”, disse o Rabobank.

A produção de proteína animal na China continua sendo impactada pela gripe aviária e peste suína africana (PSA), criando oportunidades para os países exportadores de carnes. O país asiático deverá elevar sua produção de carne de frango em cerca de 10% em 2021, segundo o banco.

“Vale lembrar que consideramos no nosso cenário-base uma reabilitação do rebanho suíno chinês em níveis um pouco abaixo pré-PSA, pois entendemos que uma parcela da população que hoje está migrando para o consumo de frango será permanente”, disse o banco.

No cenário doméstico brasileiro, os custos de produção deverão continuar a reduzir as margens do setor. Mas a carne de frango tem registrado valorização menor que as carnes bovina e suína, favorecendo seu consumo no Brasil, onde é a principal proteína animal consumida pela população.


Fonte: Carnetec

 

Veja também

Opinião: Inovação em embalagens traz sustentabilidade para indústria de alimentos30/06 Sustentabilidade e segurança alimentar são assuntos que sempre estiveram presentes na agenda da indstria de alimentos. Todavia, no último ano, diante das fortes transformações impulsionadas pela pandemia do coronavírus, é inegável a necessidade de trazer estes temas para o debate e buscar alternativas para oferecer soluções mais......

Voltar para Notícias (pt)