EXPOMEAT
de 15 a 17 de Março de 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 18 de Janeiro de 2017 às 15h18

Exportações brasileiras de carne suína encerram 2016 com alta de 32% em volume

Confirmando o bom ano vivido pela suinocultura do Brasil no mercado internacional, as exportações do setor (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 732,9 mil toneladas em 2016, volume que supera em 32% as 555,1 mil toneladas embarcadas em 2015.

Com o forte desempenho dos embarques, a receita acumulada nos 12 meses de 2016 alcançou US$ 1,483 bilhão, saldo 16% maior em relação ao obtido no ano anterior, de US$ 1,279 bilhão. Os dados foram divulgados na terça-feira (17) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), com nota em seu site.

“O excelente resultado das exportações ajudou a diminuir os efeitos da retração do consumo interno, impactado pela crise econômica brasileira. Neste contexto, foi altamente positivo o crescimento da participação de Hong Kong, da China e de países da América do Sul no total exportado, diminuindo a dependência sobre as vendas para a Rússia”, ressaltou Francisco Turra, presidente executivo da ABPA.

Considerando apenas o mês de dezembro, as vendas do setor alcançaram 50,9 mil toneladas, 9,8% acima das 46,3 mil toneladas registradas no último mês de 2015. Em receita, as elevações chegaram a 32,7%, com US$ 108,6 milhões – contra US$ 81,9 milhões de dezembro de 2015.

Principal destino das exportações brasileiras (com 33% do total), a Rússia importou nos 12 meses do ano passado 245,1 mil toneladas de carne suína, número 1% superior ao desempenho de 2015. Hong Kong, em segundo lugar (22,7% do total) foi destino de 164,2 mil toneladas, volume 33% superior segundo o mesmo período comparativo. Já para a China foram embarcadas 87,8 mil toneladas (12,1% do total), número 1.582% maior que o efetivado no ano anterior.

Outros mercados também se destacaram nas vendas do ano, como Cingapura, com 32,6 mil toneladas (+16% em relação a 2015), Uruguai, com 29,4 mil toneladas (+30%), Argentina, com 25,2 mil toneladas (+132%) e Chile, com 23,1 mil toneladas (+180%).

“Para 2017 temos boas expectativas quanto à continuidade do bom fluxo de vendas para o Leste Europeu, Ásia e determinados mercados da América do Sul. Ao mesmo tempo, é esperada para este ano a viabilização das vendas para a Coreia do Sul, cuja abertura de mercado está em fase final”, analisou Ricardo Santin, vice-presidente de Mercados da ABPA.

Fonte: Carnetec
 

Veja também

ABCS apresenta pesquisa sobre potencial de consumo de carne suína no país21/09/18 Em boletim enviado à imprensa na quarta-feira (19), a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) divulgou os resultados de pesquisa que considera inédita para a cadeia produtiva suinícola, realizada pela Kantar Worldpanel com apoio do Sebrae. O lançamento oficial dos resultados foi feito antes pela associação para a indústria,......
JBS adquire líder de processamento de suínos na Austrália16/06 A JBS disse na terça-feira (08) que adquiriu a Rivalea, líder na criação e processamento de suínos na Austrália, por 175 milhões de dólares australianos (US$ 135 milhões). "Com a......

Voltar para Notícias (pt)