21 A 23
DE SETEMBRO DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 30 de Abril de 2020 às 15h31

Marfrig/Gularte: margens de rentabilidade nunca estiveram tão boas

Notícias do Setor (294)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal As margens da Marfrig "nunca estiveram tão boas", disse o diretor-presidente da companhia de proteína animal, Miguel...

As margens da Marfrig "nunca estiveram tão boas", disse o diretor-presidente da companhia de proteína animal, Miguel Gularte, em live promovida pelo Broadcast. "O Brasil está surfando nessa onda, de crescimento do mercado bovino", acrescentou, dizendo que, como companhia de alimentos e de proteína animal, a Marfrig "está numa situação privilegiada" diante da pandemia do novo coronavírus.

O executivo disse, ainda, que a empresa está finalizando o “melhor” primeiro trimestre da história. Segundo ele, a queda na demanda doméstica foi compensado pelo incremento nas exportações, já que os países não passaram pelo pico da pandemia ao mesmo momento. "Que o mundo está mais pobre para todos, estou de acordo mas, no nosso caso, estamos numa situação privilegiada", disse. "No início da pandemia, havia uma discussão se fecharíamos fábricas, a questão de transporte de empregados, uma série de decretos municipais e estaduais (impedindo o trânsito de alimentos) mas, depois do decreto do governo federal, passamos a trabalhar de forma normal", disse o executivo.

Ele relatou que principalmente a China tem demandado muita carne, e "deve ser o carro-chefe das exportações, não só no Brasil, mas também de outros países da América do Sul". Comentou, ainda, que timidamente, a União Europeia está retomando compras, após o isolamento social imposto em vários países do bloco por causa do coronavírus. “A Europa sempre importou muito carne enlatada. Essas exportações continuam”, afirmou.

Fonte: Broadcast Agro

Veja também

Brasil: falta inteligência agrícola04/11/20 Estabelecer regras para evitar que a exportação excessiva – geralmente puxada por situação cambial favorável – crie perigosa escassez no mercado interno será, com certeza, uma reivindicação de setores produtivos ao governo federal. A medida está inspirada na segurança alimentar do Brasil e pretende situar esse tema de maneira......

Voltar para Notícias (pt)