09 A 11
DE novembro DE 2021

Das 14h às 20h

Pavilhão de Exposições Anhembi - São Paulo/SP

Notícias

Postado em 05 de Maio às 15h06

Números de 2020 comprovam avanço da suinocultura nas exportações e no mercado interno

Notícias do Setor (579)
EXPOMEAT 2021 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A produção brasileira de carne suína cresceu mais de 10% em 2020, no comparativo com o ano anterior, fechando com um volume...

A produção brasileira de carne suína cresceu mais de 10% em 2020, no comparativo com o ano anterior, fechando com um volume total de 4,436 milhões de toneladas. Nas exportações, o país embarcou 1,024 milhão de toneladas no ano passado, obtendo uma receita de US$ 2,269 milhões. Os números fechados foram divulgados ontem (27/04) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que lançou oficialmente o seu relatório anual com dados dos segmentos avícola, suinícola,ovos, material genético avícola, perus, patos e outras aves.

O relatório mostra Santa Catarina como líder nacional em produção, com 30,73%, seguido por Paraná (21,10%) e Rio Grande do Sul (19,08%). Os três Estados do Sul também lideram nas exportações, respectivamente, Santa Catarina (51,68%), Rio Grande do Sul (25,79%) e Paraná (13,59%). A China foi o principal destino da carne brasileira, com 513.519 toneladas, com Hong Kong na segunda posição, importando 166.520 toneladas da carne suína brasileira, que tem ainda Singapura, com 52.179 toneladas como terceiro maior destino.

Os resultados apresentados no relatório da ABPA colocam o Brasil na quarta posição entre os maiores produtores – o primeiro é a China com 38 milhões de t, seguida pela União Europeia (28) com 24 milhões de t e os Estados Unidos com 12,841 milhões de t –, mesma posição ocupada entre os maiores exportações mundiais da proteína, que tem na liderança a União Europeia (4,350 milhões de t), Estados Unidos (3,318 milhões de t) e Canadá (1,525 milhão de t). O consumo interno de carne suína cresceu, chegando a 16 kg per capita em 2020, ante 15,3 kg em 2019.

Os resultados demonstram que mesmo frente às dificuldades econômicas e os impactos causados pela pandemia de Covid-19, a suinocultura manteve um forte ritmo de crescimento no ano passado. Com um cenário internacional ainda favorável ao produto suíno, a perspectiva em 2021 é que se registrem novos avanços na produção, mas principalmente nos embarques desta proteína.

Fonte: Suinocultura Industrial
 

Veja também

BRF testa drones para entregas em granjas integradas26/05 A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, realizou em Toledo, no Paraná, a primeira entrega de material genético a produtor integrado feita por meio de um drone. No teste, que marca o pioneirismo da BRF, o drone entregou doses de sêmen suíno para inseminação em uma granja integrada na zona rural do município. A iniciativa verificou tempo, praticidade e......
JBS vai investir R$ 1,7 bi em 7 fábricas no RS20/04 Conheça outras notícias do setor: www.carnetec.com.br A JBS irá investir R$ 1,7 bilhão em sete fábricas no Rio Grande do Sul até 2023, segundo informações divulgadas durante transmissão......

Voltar para Notícias (pt)