EXPOMEAT
É ADIADA PARA 2022

Em breve divulgaremos a nova data que está sendo negociada junto ao Pavilhão de Exposições Anhembi

Notícias

Postado em 15 de Setembro de 2020 às 14h10

Rastreabilidade e origem da carne devem ganhar importância em cenário pós-covid

Notícias do Setor (652)
EXPOMEAT 2022 - lll Feira Internacional da Indústria de Processamento de Proteína Animal e Vegetal A pandemia da covid-19 provocou mudanças nos padrões de consumo de carnes e consumidores deverão dar mais importância...

A pandemia da covid-19 provocou mudanças nos padrões de consumo de carnes e consumidores deverão dar mais importância à origem dos produtos no longo prazo, segundo analistas do Rabobank.

“A rastreabilidade, com o consumidor apto a identificar a origem dos alimentos e o modo como estes foram produzidos, deve ganhar ainda mais importância no futuro, principalmente no que diz respeito a aspectos de sustentabilidade”, disse o Rabobank em relatório divulgado na semana passada.

Durante a pandemia, protocolos sanitários tiveram de ser adaptados para minimizar os riscos de transmissão entre funcionários dentro das plantas frigoríficas e das propriedades rurais.

A segurança sanitária na produção dos alimentos continuou no radar dos clientes, afetando temporariamente exportações de carnes produzidas em algumas unidades frigoríficas brasileiras.

Apesar dos desafios, o Brasil continuou ganhando mercados no exterior em 2020. A competitividade das carnes brasileiras aumentou em momento de desvalorização cambial, colaborando para elevar os embarques.

O Rabobank espera que a indústria de carnes brasileira continue a ganhar mercados no exterior, com ampliação dos destinos para exportação reduzindo a dependência de mercados específicos.

“Este cenário deve se manter no futuro e as oportunidades de aumento de produção e produtividade são evidentes tanto por questões climáticas como por competitividade nos custos de produção”, disse o Rabobank.

“O número crescente de novas habilitações para exportação sinaliza não só o esforço do país para ampliar as opções, mas também que o interesse pelas carnes brasileiras está se elevando.”

O Rabobank também espera que o cenário atual possa intensificar o processo de transição para consumo de proteínas alternativas globalmente, principalmente por parte das novas gerações.

“Isso porque o apelo pela produção de carnes de forma mais sustentável e com maiores garantias sanitárias tem sido crescente nos últimos anos, e as indústrias já têm se mobilizado para lançar novos produtos que atendam a esse novo perfil de consumidor, seja através de carnes à base de vegetais ou sintéticas.”

Fonte: CarneTec
 

Veja também

China vai comprar 20.000 toneladas de carne suína congelada20/07 Depois de uma queda drástica nos preços, a China ordenou a compra de 20 mil toneladas de carne suína para manter as reservas estatais com estoque suficiente para conter os preços. Os preços internacionais caíram 65% recentemente, de janeiro deste ano, pressionando os pecuaristas chineses que, já assediados pelos surtos de peste suína africana, passaram a......
Unilever anuncia 'alimentos do futuro'26/11/20 A Unilever anunciou no dia 18 de novembro, seu mais novo compromisso de sustentabilidade para a categoria de alimentos, que tem como um de seus pilares aumentar em €1 bilhão as vendas de carne à base de plantas e alternativas aos......
PIB agro registra alta de 3,78% no quadrimestre09/07/20 Na contramão da previsão para a economia nacional, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro registrou alta de 3,78% no primeiro quadrimestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado, puxado......

Voltar para Notícias (pt)